quinta-feira, 21 de outubro de 2010

SAUDADES DE CASA!

Sei que sumi por um tempo, estava me adaptando, mudei de país, mudei de humor, de objetivos, mudei de amor e se bobear até de profissão... isso eu ainda não sei.
Estou amando uma nova vida, a chance de recomeçar andando com minhas próprias pernas, não é fácil, mas cada conquista dá uma satisfação única.
Tudo isso tem o lado bom e o ruim, o bom é a novidade, o ruim é que a novidade acaba e a saudade vem chegando devagarinho e deixando o coração cada vez mais apertado.
Saudades do cafuné da mãe, do cheirinho da vó, de ouvir aquela voz aguda das crianças... Pra minha sobrinha eu sou a Martha, pros meus priminhos sou a tia Martinha, queria poder agora escutar essas vozes, e fazer festa lá em casa, no quintal, e encher todo mundo de beijo e abraços...
Saudades da minha gatinha Mia, pequenina do jeito que ela é, que domina uma cama de casal inteira só pra ela enquanto eu me desdobro pra não incomodá-la quando me viro na cama de noite.
Saudades de fazer festa no quarto da Liss enquanto eu descasco o milho, que vou fazer pro jantar, e ela falando mil coisas e costurando... Costurando uma bolsinha lilás e verde que deu de aniversário pra Rô.
Saudades da Rô, e as imitações que ela faz quando a gente se encontra na cozinha, quanta gargalhada... e só da boa!
Saudades da Lu, que teve a cara de pau de passar lá em casa na minha despedida só pra surrupiar a Rê Bordosa de fininho!
Enfim, esse é só o recomeço, estou retomando o blog, tenho muitas histórias pra contar e agora que já me estabilizei vou tentar escrever constantemente...
Não é por que seu nome não está escrito aqui que não tenho saudades...
SAUDADES DE TODOS !
Beijos mil pra esse povo lindo e quente!
Aqui ta um frio de matar!

terça-feira, 11 de maio de 2010

APRECIE SEM MODERACÃO!

 


Preciso me despedir do mar, mas só por um tempo.
Um minuto de silêncio...

terça-feira, 6 de abril de 2010

As Escolhas de Alice

Quem não conhece Alice no País das Maravilhas? Daqui a poucos meses esta história vai ser mais uma vez febre mundial, afinal de contas com a direção de Tim Burton e a atuação de Johnny Depp, a narrativa ganhou vida na telona e com efeitos visuais 3D. Tenho o palpite que será sucesso de bilheteria.
Enfim, na continuação do livro de Lewis Carrol (Through the looking glass and What Alice found there), Alice tem que superar vários obstáculos, como etapas de um jogo de xadrez, a cada desafio apareciam personagens instigantes e enigmáticos.
Não me lembro muito bem como a Alice chegou no tal País das Maravilhas, acho que foi um seguindo um coelho branco (uma vez resolvi seguir um Coelho e ele só me levou a botecos de quinta categoria, um verdadeiro desastre!).
Como eu estava falando, acho que vou escrever uma paródia: Martinha no País da Fotografia. Terei muitas aventuras pra contar. O resultado das aventuras vividas são as imagens geradas. Se não for assim, pra mim não tem sentido. Vou postar aqui alguns momento inesquecíveis, que só enriquecem essa história.

1- Do científico ao publicitário: Logo que comecei a fotografar, ainda na faculdade de biologia, eu ficava horas observando e fotografando anfíbios. A maioria das pessoas que não era do "nicho biológico" me achava meio doida, talvez eu fosse mesmo, afinal quem é que gosta desses bichinhos gelados e brilhantes de olhos esbugalhados que pulam por aí, ECA!!! Pois é, eu gosto, vai entender!
Comecei fotografando na natureza para as minhas experiências científicas e no final acabei fazendo graça por aí, até decorar os bichinhos com gorrinho de natal eu decorei, meu orientador ficava puto. Mandei as fotos pra uma lista de pesquisadores na "Nature Serve", nunca tive resposta mas tenho certeza que vários pesquisadores da lista guardaram as fotos em seu acervo pessoal. Querem apostar?
No final, acabei deixando a pesquisa de lado pois eu não podia dar vazão pra minha liberdade de expressão, uma pena... Sinto saudades!











2- Do heavy metal ao pagode: Gosto muito de música, desde adolescente ia em vários shows com os amigos do bairro, já fui em show do: AC/DC, Iron Maiden, Sepultura, Alice Cooper, Bon Jovi, Angra, Jamiroquai, Lulu Santos, Capital Inicial, Cordel de Fogo Encantado, Pedro Luis e a parede com Ney Matogrosso e até Maurício Manieri além de muitos outros. Já fui em festival de forró, de techno, danceterias. Fui do extremo "BG" (bicho grilo) ao extremo do playboy. Até cheguei a desfilar no sambódromo, mas nunca, nunca mesmo achei que ia parar num show do EXALTASAMBA. Admito que gostei, rsrsr, ainda mais em boa companhia!









3- Adrenalina nas alturas: Sempre gostei de aventuras, andar no mato é comigo mesma. Já passei 2 meses em uma reserva no Pará, andando pela mata a noite, dormindo em rede e fazendo pesquisa. Já nadei no Pantanal em um rio com piranhas e jacarés. Já fiz escalada esportiva e até em torre de alta tensão eu subi! Quando saltei de Bungee Jump eu jurei pra mim que nunca mais ia fazer isso de novo, fiquei com medo de altura. Por esse motivo mesmo que eu nunca tinha pensado que um dia entraria num helicóptero sem portas pra fazer fotos aéreas. Quase morri do coração, na hora H pensei em desistir, mas lá fui eu me aventurar outra vez. Essas fotos são boas pra ver ampliadas, dê um click em cada uma!










4- Esculturas humanas: Um dia desses fui chamada pra fotografar um homem do jeito que veio ao mundo, sem vergonha, sem taboos.
Prorroguei a sessão ao máximo que podia, fiquei super sem graça. Eu só havia fotografado nú na Escola Panamericana de Arte (EPA) em uma aula. Fui a primeira da minha turma e me senti bem sem graça, afinal não é uma coisa que fazemos todos os dias e ainda mais com um monte de gente observando. Difícil, mas quando a lição é compreendida é gratificante, o exercício é incrível, desvendar corpos com a curiosidade do olhar e nada além, uma experiência e tanto. Agora, se fotografar uma mulher nua já é constrangedor, imagina só encarar um homem sem roupa! (Não se empolguem meninas, eu estou falando de FOTOGRAFIA). Muita gente que conheço ia falar que é o trabalho que caiu do céu, mas pra mim não foi tão fácil. Encarei, e me surpreendi com o resultado. Não é que ficou bom? O material ajuda rsrs


Se quiserem façam comentários, quero saber a opinião de vocês.

segunda-feira, 29 de março de 2010

Papo de mulher




Não é incomum nos tempos de hoje, que nós mulheres, retardemos o sonho da maternidade para focar em outros sonhos e objetivos, antes de nos tornar responsáveis por outra vida. Entretanto uma das nossas principais preocupações, é se quando resolvermos engravidar, seremos férteis.
Devemos sentir nosso momento certo para que a criança que um dia virá, seja recebida como a dádiva que é, e não um deslize. Só não podemos esquecer que o corpo humano atinge sua maturidade fisiológica cedo, com isso é relativamente cedo sua decadência. A partir dos 30 anos devemos ficar atentas, pois nossos óvulos foram formados no útero materno enquanto aínda éramos embriões, desde quando nosso sistema reprodutivo foi gerado, isso que quer dizer que são literalmente contados.
A maturidade reprodutiva é alcançada muito antes de nos sentirmos psicológicamente preparados, isso é fato. Como driblar esse obstáculo
?
A verdade é que não existe melhor hora, o que existe é a hora de cada um e o que importa é como vamos viver as nossas vidas até que nosso momento chegue. De forma saudável? Assim espero...
Uma das doenças que mais atinge as mulheres modernas que ainda não tiveram filhos, é a endometriose, vou descrever aqui o que entendo disso.
Além do fator da pré-disposição genética, algumas mulheres quando menstruam têm um tipo de refluxo, que carrega algumas células que deveriam ser descartadas pelo nosso útero a outros órgãos do nosso corpo. Normalmente, nosso sistema imunológico cumpre sua função destruindo esses corpos estranhos, mas às vezes falha e essas células começam a se reproduzir descontroladamente, causando aderências que podem causar mal estar como cólicas e desconforto, em casos mais graves nos leva à infertilidade.

A doença é real pode acreditar, digo isso com propriedade. O diagnóstico é difícil e a mulher pode ter problemas sociais devido ao desgaste físico e muitas vezes psíquico, não é fácil.
Estudos dizem que nosso sistema imunológico pode ficar em baixa devido a pressão externa, muitas vezes os estresses causados pelo ritmo frenético em que vivemos podem ser a causa de uma depressão. Como lutar contra isso?
Se precisar, desacelere um pouco, é comprovado que exercícios físicos aliados a atividades que levam a nos sentirmos bem, têm uma ação protetora no organismo feminino. Guarde algumas horas da sua semana para um cinema, se possível ande a pé, o trânsito é estressante não abra mão do seu bem-estar, essas são as recomendações médicas!
Ao nos exercitarmos a concentração de endorfina e serotonina sobe, a relação direta dessas substâncias com a sensação de prazer nos motiva a viver a vida de uma forma mais leve e saudável, com exercícios físicos diários.
Um pouco de disciplina é bom, nosso corpo é como uma máquina e deve ser usado pois senão "enferruja". Compre um tênis, uma prancha de surf, uma raquete ou qualquer coisa que te agrade e vá curtir. Corra, pule, brinque, nade, dê risada, faça um piquenique, tome sol.
Enfim, SEJA FELIZ SEM CULPA!

O resto o tempo traz.


quinta-feira, 11 de março de 2010

A fantástica fábrica de chocolates!














A Fantástica fábrica de chocolates... Alguém se lembra desse filme?
Não estou falando da versão de 2005, com a ilustre presença de Johny Depp, esse é bem legal, mas mesmo assim não consegue superar o clássico de 1971 com Gene Wilder fazendo o papel de Willy Wonka. Tinha também os Oompa Loompas... Eu amava aqueles homenzinhos!
Quem já entrou numa fábrica de chocolates daquelas bem tradicionais deve saber do que eu estou falando, todos aqueles funcionários uniformizados, esses sim são os Oompa Loompas, de avental, luva e touca nos cabelos numa produção caseira, cada produto sendo feito um a um com cuidado: bolos, roscas, sorvetes, bombons, trufas e tudo de mais delicioso!
Foi com o olhar daquelas criancinhas do filme que entrei na fábrica da Ofner pela primeira vez. Fiquei maravilhada com cada departamento que vi, desde a parte da confecção dos doces até a parte de empacotar os produtos.
Por falar de empacotar os produtos, é por isso mesmo que resolvi escrever hoje, pra falar do resultado final de um trabalho de equipe entre doceria, design, produção, impressão, bom gosto e fotografia.
Finalmente chegaram as novas embalagens dos ovos de páscoa da Ofner: Gianduia, Macadâmia e Trufado além do Ovo Coração e eu estava louca para ver!
Fazer as fotos foi uma aventura, tive que ir lá no centro da cidade, na zona cerealista, pra comprar as benditas macadâmias com casca que deveriam ser fotografadas para ilustrar as embalagens. Foi beeeem difícil achar, não sabia que ia ser tão trabalhoso mas valeu a pena. Macadâmias, avelãs, trufas, além dos próprios ovos de chocolate é claro, foram todos devidamente fotografados. Tem toda uma produção (pra não dizer gambiarra), pra ficar tudo certinho, arrumado. Vida de fotógrafa não é tão fácil quanto parece, a gente carrega luz e equipamento pra tudo quanto é canto, portanto levantamento de peso é uma constante. Também tem que dar uma de equilibrista. Ou vocês acham que é só colocar o produto lá que ele fica paradinho no lugar lindo e maravilhoso, sem escorregar e o mais importante, sem derreter? Não meeeeesmo, eu demoro de 40 minutos até uma hora (as vezes mais), pra produzir e fotografar cada produto e olha que até me considero rápida. Pra falar a verdade normalmemente eu não produzo nada sozinha, trabalho com uma produtora, Luciana Godoy, dá uma olhada no site dela, http://www.lugodoy.com , é artista plástica, me dá a maior força, a menina é boa mesmo. Enfim, depois de tudo isso ainda vem o Photoshop para os retoques. Ahhh, tem mais, sou super friorenta e tem que usar o ar condicionado do estúdio para os chocolates não derreterem debaixo daquela luz quente, nesses dias de calor intenso. Imagina só eu de casacão dentro de uma sala gelada e o calor de 40 graus lá fora. No mínimo estranho.
É claro que tem toda uma compensação quando o resultado final é um produto que além de saboroso fica muito vistoso!
O design das caixas ficou demais, delicado e chique! Só tenho elogios para as meninas da agência "Sisters", que são excelentes profissionais, PARABÉNS!
Adorei o resultado de mais esse trabalho, confiram nas lojas!
Espero que meu coelhinho da páscoa traga vários ovos gostosos esse ano, que nem os aí de cima...

domingo, 28 de fevereiro de 2010

A pressa é inimiga da perfeição...




Hoje estou aqui pra falar de trabalho, de como devemos lidar com nossas responsabilidades.
Marquei uma foto para fazer nessa segunda-feira na parte da manhã, no domingo a noite deixei tudo preparado, era só sair pro estúdio bem cedinho, montar a luz e fazer a foto, uma foto simples, que tinha tudo para ficar bem feita. Não ficou...
Acordei na segunda-feira passando mal, deve ter sido algo que comi ou bebi no churrasco do domingo. Quem sabe?
Liguei pro cliente para desmarcar a foto e ele me disse que tinha pressa em ter o produto em mãos, cedi. Peguei minha máquina e meu tripé e me encaminhei para o trabalho, ainda grogue.
Resumindo a história, errei a foto, não verifiquei em que ISO estava a máquina e usei uma iluminação diferente do que o produto pedia. A foto ficou granulada e cheia de sombras. Na terça-feira fiquei o dia todo no computador tentando refazer a foto no Photoshop, pode? Com o Noise Ninja tentei tirar a granulação, até que deu certo, mas nada como a foto original "clean", sem precisar de tratamento pesado.
O meu ponto de vista aqui é o seguinte: Se você acha que por algum motivo não está em condições para realizar um trabalho, não faça ou terá trabalho redobrado... Depois de quase 14 horas trabalhando eu desisti, liguei pro cliente e pedi novamente o produto para refazer o serviço. Algumas horas depois, a foto estava pronta na caixa postal dele, quase sem retoques.
Devemos saber nossos limites, ninguém tem a obrigação de saber que não estamos bem...
Portanto me desculpo aqui publicamente por não ter sido firme, por dizer que dava pra fazer o serviço quando não dava.
Lição aprendida, foto feita.

Sob outra perspectiva.




Passei o fim de semana "home alone"... MESMO!
A intenção era ir pra praia, mas a frente fria desanimou os amigos e resolvi ficar por aqui e acertar algumas coisas.
Cuidar do jardim, rastelar a grama, lixar as fabulosas caixas de laranja que comprei atrás do CEASA para fazer o móvel da cozinha. Comprar as lixas, papel higiênico, comida, suco, salada, aguaráz, sachê de cheirinho de bebê para o banheiro; e por fim fazer as unhas...
Devia ter ido a uma festa a fantasia no sábado a noite, era aniversário de duas amigas, mas o desgaste físico não me deixou acordar do cochilo estratégico pré-balada, uma pena. Tinha até separado meu vestido de paetê e uma máscara dessas de veneza como super modelito arrasador.
Ainda bem que não fui, depois tive uma cólica violenta. Ano passado fiz uma cirurgia para me previnir da esterilidade, e nesse ano, já menstruei 5 vezes. Sei que tem um período de adaptação, mas estou preocupada. A consulta com o médico é só no final desse mês, não adianta pedir pra adiantar pois preciso do resultado do meu ultrassom em mãos. Há uma fila imensa para fazer esse tipo de exame, com o profissional em que meu médico confia. O sistema público de saúde no Brasil deixa a desejar, paguei uma fortuna de médico particular, afinal é do meu útero que estou falando, da minha capacidade de gerar uma vida.
Também tenho que parar de fumar, pois cigarros e anticoncepcionais não combinam...
Essa semana que passou fiz foto de manteiga, entrevista com dono de marca líder, e até andei de helicóptero!!!
Ver a cidade lá de cima deixa a gente doido, a perspectiva é outra, tudo pequeniniiiiinho, parece uma maquete. Dá pra sentir uma sensação de impotência e ao mesmo tempo uma vontade quase inevitável de conhecer o mundo todo, tim tim por tim tim.
Viver outras coisas, conhecer outras culturas, nada me impede, e acima de tudo de vez em quando eu tenho vontade de sumir, voar pra bem longe daqui.
Europa? Quem sabe? Só o tempo dirá...

domingo, 7 de fevereiro de 2010

He's Just Not That Into You!...



CENÁRIO: Sábado a noite, churrasco na casa dos amigos, a galera ouvindo um som e falando bobagens rotineiras enquanto outros jogam videogame no super telão de sei lá quantas polegadas.
Katia chega com um saco de carvão na mão toda falante, pergunta para Sônia onde estava o gato.
Sônia tenta se explicar uma ou duas vezes tentando não parecer ridícula, afinal o que responder?
Sônia: "Não sei..."
Depois de alguns segundos de silêncio, a mesa vira um interrogatório, todo mundo tentando dar sua opinião. Dennis se aproveitando da situação oferece um "shot" de cachaça pra ela, diz que o negócio é conseguir relaxar pra conseguir enxergar os sinais.
Na sequência chega Marina da locadora super empolgada com um filme na mão.
Marina: "Gente! aluguei esse filme aqui ó! Todo mundo me falou que é super bacana. Vamos ver?"
Sônia: "Oba que legal, to querendo relaxar mesmo! Qual é o nome do filme?"
Marina: "Ele não está tão afim de vc..."
Mais um pouco de silêncio e a galera desanda a rir
Sônia: "Parece um sinal... Alguém tem um isqueiro? "
E acende um cigarro...

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Filhos do carnaval!


O mês de fevereiro passou! Junto com ele meu aniversário e mais o de muitas pessoas queridas.
Passou também o CARNAVAL! Ahhhh o Carnaval!
Sempre me incomodei um pouco com essa data, afinal eu nunca podia fazer uma festa só minha, tinha que dividir com todo mundo. Esse ano foi diferente, decidi compartilhar minha alegria e comemorei a semana toda. Fui abduzida por Trindade (RJ), que lugar fantástico! Até carnaval de rua em Parati rolou, com direito a " rebolation" o último hit do grupo Parangolé (rsrs). Fazia tempo que eu não me sentia tão bem nessa data tão especial, na qual em 2010 celebrei meus 33 anos.
Gostaria que estivessem comigo todos os meus parentes e amigos: os mais queridos, os mais distantes e inclusive os mais recentes! Aliás, os mais recentes não faltaram, estavam por lá comemorando comigo às 7:00hs da manhã da terça-feira de carnaval embaixo da " Pedra Que Engole". Faço questão de agradecer a presença: OBRIGADA, Liss!!!! Beiço e Gardenal, gente ponta firme é outra coisa! Obrigada a todos: Gra, Clement, Chihua, Dani, Shane, Sean, Shrek e Iara, simplesmente por estarem lá, vocês fizeram minha alegria, mesmo!!!!
Ainda recebi uma ligação surpresa da Suíça, chorei de alegria, de saudades! A primeira mensagem do dia também foi especial.
Quero aproveitar essa oportunidade para homenagear uma galera poderosa, forte, trabalhadora, de garra! Mamãe: a mulher mais fantástica que conheço! Papai: sem dúvida muito amado por todos nós! Fabi (a moça da foto! Maravilhosa não?): amiga querida e linda em todos os sentidos, que a vida trouxe na hora certa, cozinheira de mão cheia! Xenia: a mulher das mil e uma facetas, canta muuuuuuito! Bia: o maior coração do mundo! Olívia, Marcelo, Érico, Julinha e Francisco.
VOCÊS ARRASAM!!!!!
Amo muito tudo isso!
Obrigada meu DEUS por me fazer redescobrir a vida e por colocar cada um de vocês em meu caminho!!!!

sábado, 30 de janeiro de 2010

Devaneios de Ariel


E quando ela achava que já havia vivenciado de tudo, percebeu que havia se tornado parte de uma roda viva, cheia de singularidades e que nos torna parte desse complexo sistema que é o das inter-relações.
Ela só queria rir, e achava que ele também queria. Afinal de contas, parecia.
Ela já nem sabia mais o que estava fazendo ali. Era tão certo, tão óbvio! Já não era mais.
E sem entender nada ela foi se afastando...

Quase um conto de fadas...


Ela conheceu um cara, de barba feita e topete, era inevitável sua comparação com o garoto das "balas juquinha"(rs). Tinha um furinho no queixo, um charme.
Disse então friamente para as amigas: "Parece um bom homem".
Uma sequência de mensagens, encontros e conversas ao telefone, estreitou uma relação que parecia fluir naturalmente. Uma série de coincidências tornou as coisas tão agradáveis que ela nem notou que podia ser diferente. A impressão que tinha era a de encontrar sua cara-metade, nem que fosse só naquele exato instante. E por um momento pegou-o pensando na mesma coisa: "Má, a gente parece irmãos não é mesmo?"
Rindo ela foi obrigada a concordar...